segunda-feira, 19 de julho de 2010

Inocente amor

Lucas e Samantha eram duas crianças de aproximadamente 8 anos, crianças demais para entender muitas coisas da vida, mas de uma coisa eles já entendiam, já entendiam o que é sentir o amor.
Moravam os dois, próximo a praia, e era um dia quente, mas sem sol, estavam sentados a beira mar.
- Você é muito bonita sabia Sam? – disse Lucas baixinho.
- Obrigada! – disse Samantha envergonhada, olhando para o lado.
Os dois ficaram em silêncio por um momento, e sorrateiramente, Lucas aproximou sua mão da de Samantha, e segurou-a levemente, sem olhá-la sorrio timidamente, Samantha riu baixinho, e continuou a olhar as ondas que vinham até os seus pés, e voltavam para o mar.
- Será que um dia nós também vamos embora? Assim como as ondas? – disse Samantha.
- Eu não quero ir embora Sam, eu tenho medo! – disse Lucas.
Ela então olhou para ele com uma expressão de dúvida, ficou olhando-o por uns instantes e perguntou:
- Do que você tem medo Lucas?
Ele estava de cabeça baixa, e balançou a cabeça levemente ao ouvi-la perguntar.
- Você não quer me falar? É um segredo? – disse ela inocentemente.
- Sim! – disse Lucas, levantando a cabeça e olhando para ela.
- Você tem um segredo? – disse ela.
- Eu tenho! – disse ele envergonhado.
- Qual é o teu segredo? Do que você tem medo? – disse ela olhando diretamente para ele.
- É que Sam... Eu gosto de você... – disse ele baixinho – E eu tenho medo de ficar longe de você! – com o rosto corado.
Samantha ficou olhando pra ele, e então se aproximou e selou seus lábios nos dele, de um jeito terno e doce, que apenas duas crianças seriam capazes de fazer, ao se afastar, Lucas estava com uma carinha de assustado.
- Você me beijou? – disse ele colocando os pequenos dedos sobre os lábios.
- Sim... – sorriu Samantha – Eu também gosto de você Lucas.
Lucas sorriu com o que Samantha disse:
- Você promete nunca me deixar? – perguntou ele.
- Eu prometo! – respondeu Samantha sorrindo.
E uma promessa foi feita naquele momento, uma promessa de um amor que poderia durar para todo sempre, e os dois permaneceram sentados ali, observando as ondas em suas rotineiras idas e voltas.


Tá, eu sei que isso ficou meio bobinho, ok ok muito bobo e meio seilá, mas enfim, ficou bonitinho, eu acho (ounão?), enfim... Eu não sei bem descrever um amor de crianças, ah que seja, é isso aí, beijinhos u_u' (Alguém, se ler, vai falar dos meus "enfim", mas tudo bem -kkk)

14 escreveram aqui:

Ton disse...

nossa... com esse diálogo e a foto (principalmente) lembrei daquele triste filme "Meu primeiro amor". Acho que é esse o nome.
parabéns

Ana Lu disse...

Ahh, eu acho que nem é que as crianças já entendem o que é amor. Elas simplesmente são superiores. Elas sabem que amor não se precisa entender
;)
Beijoss

Anna C. disse...

Que graciinha >< Muito fofo, gostei muito :**

Sidney Jr. Miranda disse...

#CheckPoint @Sidney_Vilao: A ver essa cena é ver o velho e bom romantismo, simples, onde pode ser mostra os seu medos sem precoceitos, onde pode comparar a natureza com a vida... entre outras coisas. E uma baita cena, quem presta bastante atenção e deixa se envolver, fica impossivel conter as lagrimas com esse momento tão lindo.

Vilao do Romance - Memórias

http://vilaodeumromance.blogspot.com

Di Lopes disse...

kk ' Ficou muito fof ><'
Também vou participar do Bloínquês, mas espero que ganhe. KK ' Segui ;)

A princess of Bel-air disse...

Que meigo >.<
muito fofo mesmo!!

Jorge Lima disse...

Não ficou BOBINHO.
Parabéns Chris. Lindo o texto. Nada como o amor singelo, espontâneo de duas crianças.

Guilherme A. Campanholi disse...

nossa que historia linda .Velho ate emocionei ;D

disse...

Infelizmente o amor inocente nao passa mesmo dos 8 anos de idade!! Crescemos e perdemos a inocencia. Toda e qualquer!!!
Bjs

Franciele Valadão disse...

O blog está cada vez melhor, amei o texto!

Fabiane Aline disse...

Nossa que lindo essa promessa de amor, emocionante. Também me lembrou o filme "O meu primeiro amor". Vc escreve muito bem, parabéns. Feliz Dia do Amigo. Beijos e estou te seguindo.

J. Ar-Feinel disse...

As crianças ainda não têm outras preocupações ou responsabilidades que as impeçam de amar verdadeiramente. As crianças não complicam a simplicidade dos sentimentos e por isso o jeito de amar não depende de nada além de querer estar perto e ver o outro bem =). Amo de paixão histórias de amor inocente - vivo à procura de um também, mesmo à essa altura da vida, kkkk. Linda história >.<
Christine, meu msn é jes2lopes@hotmail.com . Se houver interesse de sua parte em estabelecer uma simples parceria comigo, me adicione e então conversamos.
O blog continua gracioso!

Luisa disse...

Os amores mais puros são os que marcam com maior intensidade.
Amor não tem idade. É questão de sentir.

Roberta disse...

ooooooooown q fofo seu post *-*
(www.rl-ribeiro.zip.net)

Postar um comentário

Opiniões, elogios e críticas construtivas, são sempre bem-vindas.
Se vier com xingamentos o seu comentário nem irá ser aceito -dik
Não comente "Lindo", "Parabéns!", "Bom!", e coisas do tipo, tenha a dignidade de ler o texto e fazer um comentário decente, por favor!
Voltem sempre ;D