quinta-feira, 29 de julho de 2010

Mãe


Ou “mamãe”, era assim que começavam as minhas cartas há um tempo atrás se lembra? Naquelas folhas coloridas, amarela, rosa, azul, verde, e em nenhuma delas faltava esses versos:

Eu tenho tanto, pra lhe falar, mas com palavras, não sei dizer, como é grande, o meu amor... Por você [...]

Era fato que eles sempre estavam presentes em cada carta, primeiro porque esses versos são de seu ídolo, Roberto Carlos, segundo porque eles dizem tudo e qualquer coisa, sem que fosse necessário eu dizer mais alguma palavra.
O tempo passou, muito tempo passou, eu cresci, e você disse que eu já não era mais a sua menininha, mas isso não é verdade, eu sempre serei a sua menininha, não importa com quantos anos eu esteja, quantos amigos eu tenha, novos ou velhos, eu sempre vou ser aquela menininha que não saia de perto de você nem mesmo por um momento, e que mesmo em silêncio, tentou te dar forças em todos os momentos que você precisou.
Se lembra daquela garotinha que tantas vezes você superprotegeu? Ela cresceu, mas você ainda a superprotege, e isso, será que algum dia vai mudar? Eu espero que não.
E hoje, dia 28 de julho de 2010, é o seu dia. As pessoas costumam dizer que ninguém é perfeito, mas eu discordo, discordo completamente de tal afirmação, você é perfeita, eu poderia passar horas e horas, isolada do mundo, com o pensamento focado em encontrar algum defeito que seja para você, e então, eu poderia encontrar a superproteção, mas como pode ser um defeito quando você está fazendo isso por amor aos teus filhos? Como amar incondicionalmente poderia ser defeito? Eu poderia encontrar o silêncio quando deveria falar, mas como posso dizer que isso é um defeito se o silêncio evita o pior? Eu poderia ficar horas, e horas vagando por esses mesmos pensamentos, mas seria inútil, seria em vão, qualquer coisa que alguém ou até eu mesma ousasse apontar como defeito, não seria nem por um momento aceitável, eu diria que seria injusto, e pensando nisso, logo eu desisto de tentar encontrar isso, de qualquer forma, isso não faria sentido.
E então, eu poderia começar a pensar em todas as tuas qualidades, mas isso seria tão irracional sabia? Porque você simplesmente consegue ser tudo! Incrivelmente você consegue tornar todas as dificuldades em momentos tão fáceis, você faz a minha insegurança ir embora, porque eu sei que você vai estar do meu lado sempre, pra tudo e qualquer coisa, quando estou com medo, os seus braços me acalmam de uma forma tão carinhosa.
Falar pra você, e de você, é lembrar de afeto, carinho, e o mais puro e verdadeiro amor que possa existir.
Eu ouço tanto por aí “a minha mãe é insuportável”, “a minha mãe é muito chata”, “a minha mãe me enche o tempo todo”, “a minha mãe é isso e aquilo”, enfim... Tantas reclamações, tantas críticas, tantos xingamentos, e fico me perguntando onde está o problema será que nos filhos ou será que, além de qualquer clichê que exista por aí, eu tenho a melhor mãe do mundo? Então, eu ainda fico com a segunda opção, e ainda que digam que não, pra mim você é, e sem nada mais a dizer, me resta a dizer, o que eu sempre dizia nos finais daquelas cartas, aquelas mesmas com os papéis coloridos...

Obrigada por existir!


Com todo amor que houver nessa vida,
Christine Geraldo Wengrzynek.



Essa é uma carta real, que eu realmente entreguei pra minha mãe, porque ontem foi aniversário dela *-* e hoje mais do que nunca ela merece cada palavra escrita aí.

9 escreveram aqui:

Naty Araújo disse...

Noooooooooooooooooooooooossa... que lindo, lindo... eu quero uma mãe dessa.
Não... não pq a minha seja ruim, mas adorei tua carta.
Amei... beijão, Chris..

Finalmente voltei \o/

Stéphanie disse...

Estou seguindo o blog, gostaria que me seguissem.
http://tvfabulous.blogspot.com/

bjs

Marcos Almeida disse...

Belas palavras, sinto falta da minha mãe que a muito tempo se foi. Fico feliz de ver que és bem sensata. Abraços a ti e a sua mãe do menino em fragmentos

Afranio disse...

Porque a perfeição está nos olhos de quem vê, e não de quem é perfeito.

Ana Carolina Lima Da Rosa disse...

lindo texto.
er, por mais que agente brigue com nossas mães, enfim, tem coisas que agente só percebe depois quando elas não estão mais junto com nós.
ai sim talvez a pessoa podera entender o verdadeiro papel e a importância que as mães tem em nossa vida.
é complicado er.

Gabriela Castanhari disse...

confira esse novo post : http://cravoecanelagabriela.blogspot.com/2010/07/desafios-para-os-leitores.html , e saiba mais como fazer parte do blog nas duas novas tags, valeu

Rosana :) disse...

Simplesmente perfeito...

Mãe deveria ser eterna,não é mesmo?

um abraço

;)

http://paginasdeumvelhocaderno.blogspot.com/

Thizi disse...

mãe é a melhor coisa do mundo mesmo!

Taynara Ambrósio disse...

ME AJUDE POR FAVOR.

tive dois textos meus plagiados, e gostaria que vocês blogueiros me ajudassem a pedir para o 'ser' que publicou meus textos no blog, para dar os créditos OU deletá-los.

O plágio -> http://umabelamelodia1.blogspot.com/2010/07/so-resta-voce.html

Original -> http://trueslove.blogspot.com/2010/06/escolhas.html

Outro plágio -> http://umabelamelodia1.blogspot.com/2010/07/med.html

Original -> http://trueslove.blogspot.com/2010/06/experimentando-me.html

quem puder comentar lá, eu agradeço. Pois somente quem é blogueira(o), sabe como isso é revoltante, e lembrem-se: PODERIA TER SIDO COM VOCÊ.

Postar um comentário

Opiniões, elogios e críticas construtivas, são sempre bem-vindas.
Se vier com xingamentos o seu comentário nem irá ser aceito -dik
Não comente "Lindo", "Parabéns!", "Bom!", e coisas do tipo, tenha a dignidade de ler o texto e fazer um comentário decente, por favor!
Voltem sempre ;D