sexta-feira, 11 de junho de 2010

Nunca desistir


Kate andava rápido pelos corredores da estação, praticamente corria ao encontro de Paul que iria partir dali alguns instantes, estava aflita, seu rosto demonstrava perfeitamente isso sem que precisasse de nenhum esforço de todos que a olhavam com uma expressão de dúvida, outros com uma pouca irritação devido ao esbarrões que ela dava por estar andando rápido demais, mais uns passos e avistou Paul a ponto de entrar no metrô.
- Paul! - gritou.
E então, correu até ele, no mesmo momentos em que ele se virou para olhá-la, ficaram se olhando por longos instantes, até que ele lhe perguntou:
- O que está fazendo aqui Kate? Eu lhe disse que não queria que viesse, eu fui claro quando disse que era melhor que terminássemos. - Paul falou ríspido ao mesmo tempo em que com um tom de sofrimento.
Kate ficou olhando-o e sentiu seus olhos serem tomados pelas lágrimas que já escorriam pelo teu rosto.
- Eu te amo Paul! Eu quero ficar com você, mesmo que você esteja longe, é só com você! - disse ela num sussurro em meio às lágrimas.
- Kate, por mais que você me ame, por mais que eu te ame, nós não podemos, eu estou indo embora, e nem sei quando volto, nem ao menos sei se voltarei... Não posso prendê-la a algo tão incerto. - ddisse ele a olhando sério.
- Você me ama Paul? - olhou-o nos olhos ao dizer.
- Eu a amo como jamais amei a ninguém Kate - respondeu ele, retribuindo o olhar, mas logo em seguida desviando o olhar - mas mesmo assim não podemos, você tem uma vida toda pela frente, eu tenho uma vida toda pela frente, conheceremos novas pessoas, podemos nos apaixonar por outro alguém...
- Paul, você é a minha vida, é por você que eu sou e sempre serei apaixonada, e mesmo que você esteja indo sem saber se volta ou quando volta, eu ainda quero você, mas se você não me quiser mais, então diga. - disse Kate interrompendo-o.
- Eu quero você Kate, e por te querer, por te amar como eu te amo que eu quero que seja feliz.
- E como serei feliz se não estiver com você?
- Pau suspirou, mas nada disse, não soube o que responder, ficou olhando Kate, ficou olhando cada detalhe de seu rosto, a admirando. Então, ela disse:
- Paul,  algo que aprendi foi que diante do amor verdadeiro não se desiste. Mesmo que essa pessoa implore que desista. E eu não vou e não posso desistir de você, eu vou te esperar, seja o tempo que for, eu sempre estarei aqui a sua espera.
Ele ficou olhando-a sem saber o que lhe dizer, olharam-se nos olhos e foram ao encontro deum abraço apertado e forte, ficaram abraçados por longos minutos, até que o silêncio é quebrado pela "voz" dizendo que o metrô já está quase partindo, os dois soltaram um longo suspiro pesaroso, então se soltaram, e se olharam nos olhos e Paul disse:
- Eu te amo Kate! - e sorriu em seguida.
- Eu também te amo Paul! - disse num sussurro retribuindo o sorriso.
Entrelaçaram seus dedos, sem deixar de olhar-se por um segundo, Paul foi soltando a mão de Kate lentamente enquanto ela sussurrava entre lágrimas:
- Eu vou te esperar!
Pelos olhos de Paul escorreram lágrimas envergonhadas, que foram limpas rapidamente por ele, que sussurrou:
- Você é a minha vida!
Soltou completamente a mão de Kate, e entrou no metrô que se foi seguido pelo olhar triste de Kate até ficar fora de seu campo de visão.

3 escreveram aqui:

Camila. disse...

Texto lindo demais! Boa sorte no projeto.
xx

Isadora disse...

nossa, que texto lindo! parabéns :B amei mt

aobservadorista disse...

Um momento acaba se desistindo, quando se é machucado e ferido demais!

Postar um comentário

Opiniões, elogios e críticas construtivas, são sempre bem-vindas.
Se vier com xingamentos o seu comentário nem irá ser aceito -dik
Não comente "Lindo", "Parabéns!", "Bom!", e coisas do tipo, tenha a dignidade de ler o texto e fazer um comentário decente, por favor!
Voltem sempre ;D